O OUTRO LADO DA MOEDA!!!

10.10.2005

I Reflexões pós eleitorais ás Autárquicas 2005

Irei abordar três reflexões pós eleitorais sobre as autárquicas, a primeira será sobre o que se passou e como deverá ser, neste país (a ficção em que infelizmente resido) um autarca modelo, não só para ter sucesso na sua eleição como para ter larga exposição mediática ou nenhuma, pois esta ultima poderá prejudicar a sua reeleição.

Um autarca modelo deve ser:

Arguido não acusado, os já acusados como se deixaram apanhar não são modelos de virtude (pois quem gama e se deixa apanhar não é digno de ser eleito), tem que concorrer contra o seu partido politico mas no fundo nunca ter saído deste nem terem deixado de ter o apoio das bases do mesmo, expulsas, em vias disso ou ainda militantes.


Deve governar á vista para o povo, não tendo noção nenhuma de visão para o seu Concelho, deve de preferência governar como qualquer ditador populista sul-americano (daqueles que existem na Venezuela, em Cuba ou na Ilha da Madeira), puxando as orelhas aos vereadores, ao pé do povinho (dá um ar que manda) ou mandando “x” ou “y” como seus criados apontarem e resolver os problemas, e de vez em quando virem á televisão, mandarem umas atoardas contra as forças culturais ou desportivas, das suas cidades (conforme os gostos, até á autarcas que escolhem os dois, outros apenas preferem um ou outro).


Mas á outra opção, que o ilibe de governar, que é não fazer mesmo nada pelo seu município e aparecer regularmente nas televisões e revistas, seja em comentários desportivos, se aproveitando da morte de alguém ou indo a festas da sociedade, estes autarcas são dignos da poupança que se lhes exige, pois ao não fazerem nada, para além de não serem criticados, poupam dinheiro e não aumentam o défice publico.
Deve ter uma larga base de apoio financeiro, vindo não só dos “Rotary” (esse centro perfeitamente indiferente aos interesses dos construtores civis) como das forças vivas dos Concelhos como as personalidades mediáticas, os empresários, os meios de comunicação social (nacionais e regionais) e por fim e não menos importante os taxistas, estes grupos são com certeza os maiores financiadores ou apoiantes (visto que os órgãos de comunicação social, seja local ou regional, nunca financiaram nenhuma) das campanhas, a par com o financiamento publico e os fundos próprios dos candidatos (mesmo que muitos sejam uns pobretanas quando são eleitos pela primeira vez).

Por fim um autarca modelo, deve ter uma máquina bem oleada de cacique dos votos, seja com autocarros ou carrinhas em que se vai buscar os eleitores (que vão votar em consciência, sublinho este facto) outra opção é comprar caciques locais, oferecendo-lhes casas ou dando condições para que as suas famílias (que ás vezes até habitam noutros continentes), para fazer com que estes mobilizem os seus “carneiros” (é pena é que haja cidadãos que se prestem a este papel) v. eleitores.

3 Comments:

Blogger Rui Pedro Nascimento said...

Meu caro,

Eu avisei-te em relação a Cascais! Já a tua junta foi também para mim uma surpresa (pequena, mas uma surpresa)

11/10/05 14:11  
Blogger Sandra Feliciano said...

S:

Desta vez excedeste-te no brilho da ironia. 'tou p'rá aqui com dores de barriga de tanto rir, rapaz!

Adorei tudo, das fotos e montagens às metáforas, cada uma melhor que a anterior!

Parabéns!

11/10/05 19:31  
Blogger Geosapiens said...

...rui pedro...a minha junta ganhámos...pelo menos ganhou o meu irmão...
...quanto á sandra feliciano...acordei algo mordaz neste dia...;)

20/10/05 20:19  

Enviar um comentário

<< Home