O OUTRO LADO DA MOEDA!!!

10.30.2005

O Irão e o seu Xiismo...no contexto internacional...

As ultimas palavras do Presidente Iraniano, Mahamud Ahmadinejad, embora amplamente divulgadas pela Comunicação Social mundial, constituem a doutrina vigente desde que o Áyatollah Rúdollan Khomeni liderou na área teocrática o Irão, dizer "como disse o imã (Khomeni), Israel deve ser riscado do mapa" e falando numa conferência no âmbito de uma conferência "O mundo sem o sionismo", em Teerão, à qual assistiam cerca de quatro mil estudantes radicais, é comparativo ao Presidente Bush quando fala numa Igreja Evangélica Pentecostal (Movimentos Carismáticos Evangélicos Cristãos que fazem uma missionação activa mas que acreditam na Capacidade de curar do Espírito Santo) de cristãos renascidos “que fala directamente com Deus” e que este lhe deu a incumbência de “implantar a democracia pelo Mundo através de uma liderança moral dos E.U.A.”.

Presidente Iraniano, Mahamud Ahmadinejad

Mas o mundo aí não se indigna, pois ameaçar um estado de desaparecimento é menos simpático do que dizer-se que todos os estados irão, nem que seja á força, ser moralmente iguais aos E.U.A., entende-se, mas ao mesmo tempo deixa a porta aberta para mais uma flagrante contradição neste mundo em que vivemos.

Falando do Irão, que é diferente do Iraque, pois não existe nem a diversidade religiosa e cultural nem a oposição que acabou por haver e há, neste ultimo, com as tensões nessas comunidades, os E.U.A., se tiverem estrategos mais inteligentes não se atreverão a entrar por ali a dentro como fizeram com o Iraque ou o Afeganistão.

Áyatollah Rúdollan Khomeni

Religiosamente o Irão é Xia, ou seja composto por Xiitas (ou defensores do Xiismo) estes representam ± 10 % dos crentes do Islão, sendo muçulmanos que perpetuaram a opção dos que aceitaram que a direcção da comunidade muçulmana devia ser conferida por herança, sendo no entanto a corrente minoritária adoptada pelos seguidores do Profeta Muhammad, todos eles aceitam como primeiro Imã Ali-Harafyya que era primo e genro, para além de companheiro de primeira hora, do Profeta Muhammad, sendo que todas as vias (pois há quatro vias principais divididas em várias sub-vias) aceitam a autoridade de um Imã e as suas interpretações a nível cientifico e esotérico sendo esta a fonte religiosa para estes, ao contrário dos sunitas que só aceitam os referentes à sunna (termo que normalmente é traduzido por “a tradição”, etimologicamente “o comportamento” do Profeta tal como o estabelece e o relata a tradição, sendo que esta inclui os “ditos” ou hadith de interpretação corânica e os actos do Profeta), quer este Imã esteja vivo ou oculto, tendo sido atribuída a autoridade neste ultimo caso, a um clero que é admitido ou imposto e que tem uma hierarquia própria para cada uma das vias.
Os Xias Iranianos seguem a via (grandemente maioritária entre os Xias) dos Duodecimânicos, ou seja, acreditam que é outra a identidade do sucessor do sexto Imã, Jáfar al-Sádiq, que não é Isma´il (referência dos Septimânicos) mas Músa al-Kázim, sétimo Imã para esta corrente e não Isma´il filho primogénito de Jáfar al-Sádiq, que morreu antes de este falecer, segundo esta corrente Isma´il encontra-se afastado da sucessão pelo facto de ter morrido antes de atingir o Imanato e que os Imãs se sucedem na linhagem de Músa al-Kázim, segundo o direito do mais velho, até ao décimo segundo, chamado de al-Imán al-Máhdi al-Mutazar (o Imã bem guiado, esperado), um Paráclito, sendo que este ultimo Imã não morreu, apenas desapareceu aos olhos dos homens que continuam a depender da sua autoridade. Os Iranianos em particular crêem que o Imã oculto desde a sua “apoteose”, exerce a sua autoridade sobre os fieis tendo como intermediário, não apenas admitido mas imposto, uma Hierarquia de Mujtahid ou “gente que faz um esforço (ijtihád) de procura da verdade”, tendo títulos que evocam as suas competências e as suas atribuições, como: o “Mestre” (Mollah); “Sinal de Deus” (Áyatollah); o “Argumento do Islão” (Hojjatolislám); “Vigário do Imã” (Naíd-al-Imán) sendo que único até agora reconhecido foi o Áyatollah Rúdollan Khomeni.

al-Imán al-Máhdi al-Mutazar

Organizam-se mediante esta organização a totalidade dos Xiitas Duodecimânicos, o que por esta unidade os faz ser a esmagadora maioria dos Xias, influenciando a organização (quando não tutelando) a Hierarquia iraniana, a maioria Xiita Iraquiana e as minorias Xias dos restantes países, obtendo como se viu a solidariedade de todos os Xiias sobre as afirmações produzidas por Mahamud Ahmadinejad.

Quando este foi eleito, com um Currículo “invejável” no passado de ter liderado o ataque á Embaixada dos E.U.A. em Teerão, ganhou a tendência conservadora e que governa actualmente todos os órgãos do poder político, que se filia na ideia que o poder político tem que se submeter á Hierarquia religiosa e não o contrário como defende a tendência moderada (que perdeu as eleições com Akbar Hashemi Rafsanjani) e que até á pouco tempo governava o poder político. Por este motivo tais ideias, sobre Israel, já tinham sido repetidas vezes sem conta na sua campanha eleitoral, então não eram levadas a sério. E agora deverão ser?


Akbar Hashemi Rafsanjani

Posso arriscar que esta afirmação foi mais um meio de afirmação dentro da comunidade Xia e uma obtenção do respeito de entre os Sunitas, o pânico internacional deste modo é irreflectido, não é seguindo as opiniões de uns mentecaptos que não percebem rigorosamente nada de política externa e religiosa (e que actualmente pululam a administração dos E.U.A.) que o mundo tem que temer o Irão, pois o verdadeiro temor tem que vir do seu potencial nuclear e da evolução anti-laica que é uma característica mais dentro do campo Sunní do que do Xia no Islão.

5 Comments:

Blogger OrCa said...

Interessante a tua dissertação. E esclarecedora, também. Subscrevo a tua chamada de atenção para a dualidade de critérios que o "mundo ocidental" engole quase sem contestação.

Na verdade, há mais razões para temermos os mais fortes, daí que entre Irão e Estados Unidos - fala-se não dos povos mas das políticas no poder - eu receie muito mais os últimos que o primeiro.

Depois, será melhor ficar por aqui, pois assuntos desta relevância não se compadecem com comentários apressados como este...

Um grande abraço.

30/10/05 10:00  
Blogger OrCa said...

Meu caro, só agora respondi à amabilidade que deixaste lá mais para baixo, referente aos Sete Mares e a algumas iniciativas associadas.
Desculpa-me a demora, mas esta vida, com apenas 24 horas por dia, anda um pouco agitada demais para não cometer deslizes destes.

No tua entrada deixei um convite para o próximo encontro na Biblioteca. A pesquisa passará por Cesário. Aparece!

Um abraço.

30/10/05 10:26  
Blogger Nuno Furtado said...

foi uma tirada infeliz da parte de Mahamud Ahmadinejad. Aliás ele acabou por negar que tivesse dito isso desta forma, que teriam sido os OCS's que tinham interpretado mal as suas palavras, hoje durante os festejos da morete de um bombista suicida (?). Quanto à tirada do Bush, não foi menos infeliz, mas realmente quem é que liga ao que o Bush diz? A verdade é que o povo Americano se irá arrepender mais para a frente...

30/10/05 23:46  
Blogger RACTOR said...

Concordo com o que dizes. Panico internacional por o presidente do irao afirmar que israel deve ser riscado do mapa, quando o presidente dos estados unidos afirma que Deus fala com ele e lhe diz o que fazer, é completamente idiota. Asustava-me mais uma noticia de um presidente de um pais com armas de destruiçao massiça afirmar que as suas acçoes eram-lhe ordenadas por deus, que o presidente do irao afirmar que o seu inimigo historico deve ser eliminado do mapa. Com um sabemos o que contar... com outro nunca sabemos o que esperar

31/10/05 01:28  
Blogger Nuno Furtado said...

bem a verdade é que o irão tem WMD's também...

31/10/05 22:50  

Enviar um comentário

<< Home